História

Na década de 1980, no Brasil, grupos estudiosos das relações do cérebro com a Cognição e o Comportamento haviam se formado em diferentes locais e instituições, mas desenvolviam suas pesquisas de maneira individualizada, sem estabelecer uma troca de seus conhecimentos. Na Universidade de Campinas (UNICAMP), Jayme Antunes Maciel Jr. que havia realizado formação em Neurologia, Neuropsicologia e Lingüística na França, estabeleceu uma linha de pesquisa em Neuropsicologia- funções corticais, sendo introduzido em 1983, o tema Neuropsicologia no Curso de graduação em Medicina.

Foi então que Norberto Rodrigues, neuropediatra e professor responsável pela cadeira de Neuroanatomia do Curso de Fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tendo voltado da França, onde havia terminado sua tese de doutorado sobre Dispraxia Motora Oral em Crianças, sentiu a necessidade de unir esses diversos grupos, para que pudessem aprofundar seus conhecimentos e tentar responder suas questões sobre o cérebro e suas funções, através da disciplina chamada “Neuropsicologia”.

Em setembro de 1988, graças à união de esforços e da enorme dedicação dos neurologistas e professores Norberto Rodrigues e Jayme Antunes Maciel Jr., ocorreu o marco histórico da fundação da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp), em Assembléia Geral da Academia Brasileira de Neurologia, durante o XIII Congresso Brasileiro de Neurologia, em São Paulo. Foi considerado que a denominação “Sociedade Brasileira de Neuropsicologia” era a que melhor se enquadrava aos propósitos da associação na arregimentação multidisciplinar e interdisciplinar dos profissionais que desenvolvem atividades clínicas e de pesquisa na área das ciências cognitivas. A ata da fundação da SBNp foi registrada no 4º Cartório de Registro de Títulos e Documentos – Cartório Medeiros, em São Paulo, como uma sociedade civil, sem fins lucrativos, com CNPJ – 65 516 320/0001-44. Em 2007, em obediência ao novo Código Civil, a designação da SBNp foi mudada para Associação Brasileira Multidisciplinar de Neuropsicologia, sendo mantido o nome fantasia de Sociedade Brasileira de Neuropsicologia. A Ata dessa Assembléia e o Estatuto da Associação foram devidamente registrados no 4º Cartório de Registro de Títulos e Documentos – Cartório Medeiros.

Após sua fundação, Norberto Rodrigues e Jayme Antunes Maciel Jr começaram a agregar profissionais ligados à área da Neuropsicologia no Brasil e no exterior, estabelecendo o primeiro contato da SBNp com a Sociedade Latino Americana de Neuropsicologia (SLAN). Este intercâmbio tem se mantido, ampliado recentemente com a Sociedade Internacional de Neuropsicologia (SIN).

Em 1989, Norberto Rodrigues formou em São Paulo, uma comissão multidisciplinar com profissionais dos mais diversos grupos e instituições que trabalhavam na área da Neuropsicologia, para juntos organizarem o I Congresso Brasileiro de Neuropsicologia e II Congresso Latino-americano de Neuropsicologia, realizado com extremo sucesso e eficiência científica, em 1991, na cidade de São Paulo, tendo como presidente do comitê científico Jayme Maciel e como presidente do Congresso, o próprio Norberto Rodrigues. Nesse evento compareceram ilustres colegas de outros países da América Latina e da Europa, membros da SLAN: Juan Azcoaga (Universidade de Buenos Aires da Argentina), Fernando Dalmás e o Dr. Luis E. Fontan (Departamento de Neuropsicologia do Instituto de Neurologia do Hospital das Clínicas de Montevideo-Uruguai), Alfredo Ardila (Instituto Neurológico da Colômbia), Jean-Luc Nespoulous (Departamento de Lingüística e Filosofia da Universidade de Montreal), Yves Joanette (Laboratório Th-Alajouanine, C.H. Cote-des-Neiges de Montreal), André Roch Lecours (Centro de Pesquisa do Centro Hospitalar Cote-des-Neige de Montreal), Anna Basso (Instituto de Clínica Neurológica da Universidade de Milão), Jordi Peña Casanova (Hospital Del Mar, de Barcelona-Espanha), G. Deloche (Inserm, Divisão Clérambault, La Salpêtrière, de Paris-França) e Xavier Seron (Universidade de Louvain, Unitê de Revalidation Neuropsychologique de Cliniques Universitaires de Bruxelas-Bélgica).
A partir desse mega-evento científico, instalou-se a tradição de ser lançado, após cada Congresso da SBNp, um livro contendo as palestras proferidas. Como resultado desse primeiro congresso, foram editados dois livros: Temas em Neuropsicologia (vol. I) e Temas em Neurolinguística (vol. II). A área de atuação da Neuropsicologia no Brasil, assumida pela SBNp, foi registrada por Norberto Rodrigues no capítulo intitulado: ¨Neuropsicologia: Uma Disciplina Científica¨, escrito por ele, no volume I dessa série. Ele escreveu:
¨A complexidade do cérebro e da cognição humana levou à necessidade da participação de profissionais de diversas áreas para que se pudesse compreender não só onde está a lesão, mas também o quê da cognição deveria ser recortado, como as estruturas neurais processam e são processadas por esta cognição e ainda, como e porque reabilitar o paciente com distúrbios cognitivos. Temos hoje uma disciplina científica, a Neuropsicologia, cujo objetivo é estabelecer correlações entre modelos neurais, fornecidos pela Biologia e modelos cognitivos, fornecidos pela Psicologia Cognitiva e pela Lingüística. Tal estudo é limitado às funções cognitivas humanas, tais como: fala e linguagem, leitura e escrita, cálculo, atividade gestual, percepção, memória e atenção. Atualmente ela interessa a todos os clínicos que atuam na educação especial e reabilitação dos distúrbios cognitivos adquiridos ou de desenvolvimento, dizendo respeito, portanto, a médicos, psicólogos, fonoaudiólogos, psicopedagogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, entre outros.¨

Nesse mesmo capítulo, Norberto Rodrigues também defendeu a idéia de que a formação em Neuropsicologia fosse em nível de Especialização e Pós-Graduação, tendo em vista sua complexidade, o fato de trabalhar com vários modelos gerados em outras disciplinas e por ser fortemente ligada à clínica, características que exigem maior maturidade profissional e conhecimento aprofundado sobre o assunto. A SBNp compartilha da mesma opinião, quanto ao nível de formação desses profissionais.

Em 1993, a SBNp organizou o primeiro Simpósio Internacional de Língua de Sinais e Educação do Surdo, no qual compareceram pesquisadores do Brasil e do Exterior que trabalhavam com a implantação do bilingüismo e com a difusão da língua de sinais. Esse evento teve como maior objetivo refletir sobre a discussão entre a utilização do Oralismo x Língua de Sinais na educação do Surdo e em fornecer ao Surdo todas as condições para seu pleno desenvolvimento. A atenção da SBNp para com as necessidades especiais continuou sendo demonstrada pela realização do Simpósio Internacional de Neuropsicologia e Inteligência. Um Enfoque nas Altas Habilidades, e Neuropsicologia e Inclusão, tema do V Congresso Brasileiro de Tecnologia e (Re)Habilitação Cognitiva, ambos em 2006.

Preocupada em difundir a Neuropsicologia por todo o nosso País, a SBNp já realizou 15 Congressos Nacionais e 2 Internacionais, além de vários Simpósios, Jornadas e Cursos Nacionais e Internacionais e publicou até a presente data 14 livros. No ano de 2007 foi organizado o segundo Congresso Internacional que contou com ilustres conferencistas brasileiros e estrangeiros, vindos da Espanha, do Canadá e da Itália.

Todos os eventos da SBNp tornaram-se periódicos e são aguardados e acompanhados pelos profissionais atuantes na Neuropsicologia, constituindo sempre um fórum nacional de expansão de conhecimentos e de formação e comercialização de produtos da área.

A SBNp tem como objetivo, desde a sua fundação, a difusão das ciências neuropsicológicas em nível nacional e tem atualmente Representantes Regionais no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Goiás, alem de incentivar eventos e centros de estudos em várias cidades e capitais. Como exemplo desse trabalho de expansão, podemos citar o apoio e o reconhecimento à criação da Sociedade Mineira de Neuropsicologia (SMNp), fundada em 14 de julho de 2004, a partir da iniciativa de profissionais da área de saúde e educação, que se reuniram para criar um espaço visando estimular projetos de formação, informação e pesquisa em Neuropsicologia no Estado de Minas Gerais. Dentre os membros atuais dessa sociedade encontram-se representantes das principais Universidades de Minas, de diferentes cidades com áreas de formação que vão da Pedagogia à Medicina. Em sua primeira gestão teve como presidente o psicólogo Leandro Fernandes Malloy-Diniz, também Representante Regional da SBNp em Minas Gerais, e como presidente de Honra o médico Professor Ramon Moreira Cosenza.

A SMNp em seu calendário oficial propõe a realização de duas atividades principais: O Simpósio Mineiro de Neuropsicologia e o Simpósio Diálogos entre a Clínica e as Neurociências (da qual é co-organizadora). Os dois eventos estão em sua terceira edição. É importante salientar que a SMNp funciona como uma colaboradora direta da SBNp e suas ações são coerentes com as diretrizes nacionais na área. Atualmente, um dos desafios da SMNp é levar as informações sobre a Neuropsicologia para diferentes regiões do Estado de Minas Gerais e, em especial, para fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais.

A SBNp sempre defendeu a idéia de que a Neuropsicologia é uma ciência multi, inter e transdisciplinar. Seu escopo é privilegiar parcerias e a troca de conhecimentos e de experiências entre as diversas áreas da Saúde e da Educação, além de outros ramos do conhecimento humano, respeitando seus limites de atuação, de acordo com a especialização exigida em cada uma dessas profissões. O Fórum Multidisciplinar, organizado pela SBNp em 2007, visa fazer a intermediação entre os Conselhos e Sociedades representativas de classes com o intuito de discutir as áreas de atuação dentro da Neuropsicologia destinada a cada profissional e suas interfaces.

Em maio de 2008, a SBNp realizou o Simpósio” Avaliação em Neuropsicologia. Estudos Atuais na Normatização e Validação de Testes no Brasil”, com o propósito de discutir instrumentos de avaliação em Psicologia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Esse evento obteve tanto sucesso que resultou na publicação de um livro com o conteúdo desse encontro científico, com o objetivo precípuo de enfatizar que a avaliação em Neuropsicologia é multidisciplinar.

Em 2009, a SBNp realizou o evento “Neuroeduca – o Cérebro vai à escola” e o X Congresso Brasileiro de Neuropsicologia.